pt
Atendimento Permanente Todos os dias das 08:00-22:00 +351 217 582 336 geral@clinicalambert.pt R. Cordeiro Ferreira 3 1750-071, Lisboa

As lesões musculoesqueléticas do trabalho de secretária

aqui escrevemos como ajustar a nossa postura ao tele-trabalho. No entanto, dores de costas e de outras partes do corpo não são fruto, apenas, desta nova forma de trabalhar. Por isso, neste artigo, deixamos-lhe as lesões musculoesqueléticas mais frequentes dos empregos que obrigam a longos períodos sentado à frente de um computador ou de outras ferramentas em atividades como tocar piano ou fazer costura.

Motivos pelos quais trabalho à secretária pode lesionar.

Há vários motivos pelos quais lesões musculoesqueléticas relacionadas com o trabalho de secretária lesionam. Primeiro, o trabalho de secretária é tendencialmente sedentário. E isso não é benéfico para a saúde. Segundo a Organização Mundial de Saúde, 23% dos adultos e 81% dos adolescentes não pratica desporto regularmente e mantém um estilo de vida inativo durante os momentos domésticos. Isto, combinado com a repetição de movimentos, pode levar a lesões complexas do foro ortopédico. As lesões do esforço repetitivo.

Lesões do esforço repetitivo.

Derivadas dos, tal como o nome indica, movimentos repetidos e postura incorreta, estas lesões  são um espectro de condições que embarca muitas situações diferentes. É um síndrome diretamente ligado ao trabalho e potenciado pelos, nos últimos anos, pelos serviços em que é necessário estar várias horas à frente do computador. São lesões silenciosas, piorando, progressivamente, ao longo dos tempos. Dentro desta condição, podemos encontrar:

1) Síndrome do túnel do cárpico

A síndrome do túnel cárpico é causada pela pressão no nervo mediano. O túnel cárpico, por seu lado, é uma passagem estreita rodeada por ossos e ligamentos, no lado palma da mão. Quando este nervo é comprimido, os sintomas são: dormência; formigueiro; e uma sensação de fraqueza na zona dos braços. Esta condição é prevalente a pessoas que passam muito tempo a escrever no teclado do computador, devido à força usada para manter as mãos suspensas. 

O diagnóstico começa pela avaliação dos seus sintomas. O médico especialista tem de se certificar de que o seu desconforto vem direitamente do nervo mediano. Se vier de outro lado da mão, não será síndrome do túnel cárpico.

Exame físico. O seu médico fará um exame físico. Ele ou ela vai testar a sensação nos seus dedos e a força dos músculos na sua mão. Vai dobrar o pulso, tocar no nervo ou, simplesmente, pressioná-lo para desencadear sintomas.

Raio-X. Alguns médicos recomendam um raio-X ao pulso, para excluir outras causas de dor, como artrite ou fratura. No entanto, os raios-X não são úteis para fazer o diagnóstico da síndrome do túnel cárpico.

Eletromiografia. Este teste mede as pequenas descargas elétricas produzidas nos músculos. O seu médico vai inserir um elétrodo de agulha fina em músculos específicos, para avaliar a atividade elétrica, quando os músculos contraem e descansam. Este teste pode identificar danos nos músculos controlados pelo nervo mediano e também pode excluir outras condições.

Estudo de condução nervosa. Numa variação de eletromiografia, dois elétrodos são colados à pele. Um pequeno choque atravessa o nervo mediano, para ver se os impulsos elétricos abrandam no túnel cárpico. Este teste pode ser usado para diagnosticar a sua condição e excluir outras.

2) Epicondilite: ou tendinite do ombro. 

Esta é uma dor que ataca a região lateral do cotovelo e limita os movimentos e força do punho. Tal como em todas as outras condições, é normal em pessoas que passam muitas horas à frente do computador, devido ao esforço de elevar os braços regularmente.  A dor causa grande limitação de força, quando é necessário levantar objetos ou fazer algum tipo de esforço físico. É descrita como uma picada semelhante a um choque ao longo de todo o antebraço.

Para diagnosticar esta condição, o médico especialista vai primeiro recolher a sua história clínica, para saber se tem um percurso profissional que obrigue a movimentos repetidos.

Se existir necessidade, será feito um raio-x e/ou, até, uma ecografia para apurar a situação. 

3) Dores de costas

As dores de costas são normais em empregos sedentários. A má postura é uma das maiores causas de dor de costas de quem trabalha numa secretária diariamente. Durante o dia, uma pessoa pode deslizar para a frente na cadeira, reclinar-se ou inclinar-se em direção ao computador. A fadiga também pode incentivar os colaboradores a ter uma postura excessivamente descontraída enquanto estão sentados ou de pé. Estas podem esticar demasiado os ligamentos espinhais e pressionar em demasia a coluna vertebral.

4) Bursite no ombro

Uma Inflamação da bursa, pequena bolsa de líquido na fricção entre tecidos como músculos, tendões e os ossos. Para além da dor, esta condição pode criar zonas vermelhas e inchaços. Apesar de, na maioria das vezes, fazer o que lhe compete, sem dar nas vistas, quando é forçada a movimentos repetidos, como acontece em trabalhos em escritórios, reage, inflamando. É frequente acontecer em pessoas que passam muitas horas com os cotovelos encostados a uma mesa, como estudantes ou administrativos.

Por ser uma condição complexa. Para além do exame clínico feito pelo médico especialista, pode-se recorrer à imagiologia como a ecografia e a ressonância magnética.

O que fazer em caso de lesões musculoesqueléticas relacionadas com o trabalho de secretária?

Em caso de dor persistente e que o impeça de trabalhar ou que impeça uma vivência confortável, deve contactar um especialista da área do corpo afetada que o ajude a recuperar da melhor forma possível. Na Clínica Lambert, vai encontrar o apoio que precisa para qualquer situação. Marque uma consulta ou ligue: +315 217 582 336. Pode também enviar um e-mail para: geral@clinicalambert.pt

Call Now Button