pt
Atendimento Permanente Todos os dias das 08:00-22:00 +351 217 582 336 geral@clinicalambert.pt R. Cordeiro Ferreira 3 1750-071, Lisboa

DEDO EM MARTELO

PATOLOGIAS PUNHO E MÃO

QUEM AFECTA?

Qualquer pessoa.

PORQUE ACONTECE?

Quando a ponta de um dedo é forçada a flectir de repente, na articulação interfalângica distal, o tendão que mantém a ponta do dedo direita, ou estendida, pode romper. Esta ruptura pode ocorrer apenas no tendão ou então com um arrancamento ósseo associado.

SINTOMAS

Dor na articulação interfalângica distal, nem sempre presente.
Incapacidade para estender a ponta do dedo.

EXAME CLÍNICO

Dedo com aspecto de martelo, com a ponta caída em flexão.

EXAMES COMPLEMENTARES

É necessário um Rx para verificar se ocorreu uma avulsão óssea ou fractura associada ao rompimento do tendão.

TRATAMENTO CONSERVADOR, NÃO CIRÚRGICO

A maioria dos dedos em martelo podem ser tratados conservadoramente com uma tala de Stack, que mantém a ponta do dedo em extensão, usada durante 6 a 8 semanas, full-time.
Esta tala pode ser retirada para a higiene do dedo, mas é fundamental que este seja mantido esticado para não prejudicar a correcta cicatrização do tendão.

TRATAMENTO CIRÚRGICO

Quando o Rx revela a presença de um fragmento ósseo grande e desviado, normalmente aconselhamos cirurgia.
Após a cirurgia é necessário usar uma tala de Stack durante 2 a 3 semanas, iniciando-se a seguir a mobilização da articulação.

REABILITAÇÃO PÓS-OPERATÓRIA

O doente pode ir para casa logo após a operação.
Os analgésicos prescritos geralmente controlam a dor no pós-operatório e devem ser iniciados após a alta.
A mão deve ser elevada, tanto quanto possível, durante os primeiros 5 dias, para prevenir o inchaço.
É estimulado o movimento suave dos dedos e punho.
O penso é normalmente trocado 2 ou 3 dias após a cirurgia, para um penso mais pequeno, sendo necessários cuidados de penso até cerca das 2 semanas de pós-operatório.
As suturas geralmente são retiradas ao fim de cerca de 2 semanas.
Após a remoção da tala de Stack, às 2 ou 3 semanas, inicia-se o uso da mão nas actividades do dia-a-dia e a mobilização da articulação envolvida.

RETORNO ÀS ACTIVIDADES DA VIDA DIÁRIA

Condução: a mão precisa de ter controlo total sobre o volante ou alavanca de mudanças. É aconselhável atrasar o regresso à condução até que se esteja livre de dor e se possa controlar um carro numa emergência, o que pode levar alguns dias.

Trabalho: depende do ambiente de trabalho de cada pessoa. O regresso ao trabalho manual pesado só se aconselha passadas cerca de 6 semanas. Trabalho administrativo pode ser retomado imediatamente ou passados poucos dias da cirurgia.

COMPLICAÇÕES

Em geral, mais de 95% dos doentes ficam totalmente satisfeitos com o resultado. Contudo, podem ocorrer complicações:
– irritação da pele pelo uso da tala de Stack;
– falência do tratamento, com recorrência da deformidade e eventual evolução para deformidade em colo de cisne;
– irritação causada pelo material implantado na cirurgia, exigindo a sua remoção.

FRANCISCO MERCIER

Médico Ortopedista - Punho e Mão

“Chamo-me Francisco Mercier e nasci no Porto em 1981. Licenciei-me em Medicina pela Universidade de Coimbra em 2005 e especializei-me em Ortopedia nos Hospitais da Universidade de Coimbra em 2013.”

CONTACTO TELEFÓNICO

217 582 336
geral@clinicalambert.pt
R. Cordeiro Ferreira 3, 1750-071 Lisboa

MARQUE JÁ
A SUA CONSULTA DO PUNHO E MÃO

Entraremos em contacto consigo em menos de 24h

    TELEFONAR