pt
Atendimento Permanente Todos os dias das 08:00-22:00 +351 217 582 336 geral@clinicalambert.pt R. Cordeiro Ferreira 3 1750-071, Lisboa

Lesões de Futebol: Como prevenir as principais lesões do “desporto-rei”.

A expressão “desporto-rei” assenta-lhe como uma luva de guarda-redes ou uma chuteira de ponta-de-lança. É a modalidade desportiva com mais praticantes e com mais adeptos em todo o mundo. E no campeonato dos fora de jogo também não fica a perder graças à sua elevada incidência de lesões. Neste artigo falamos-lhe sobre as Lesões de Futebol mais comuns.

Não é por acaso que o futebol é chamado de desporto-rei. Afinal, é a prática desportiva mais popular e mais praticada no mundo inteiro. 

Pela grande exigência física, apresenta uma elevada incidência de lesões, cuja causa está, muitas vezes, nos esforços excessivos e repetitivos a que as estruturas músculo-esqueléticas dos praticantes de futebol são submetidas. 

Além disso, os movimentos característicos da modalidade como os movimentos de rotação nas frequentes mudanças de direcção, a explosão muscular exigidas nas súbitas variações de velocidade e as cargas quase constantes entre atletas fazem do futebol uma actividade desportiva de alto risco para músculos, ligamentos, ossos e tendões. 

Quais são as lesões mais frequentes no futebol?

As lesões mais frequentes nos praticantes de futebol acontecem compreensivelmente nos membros inferiores e afetam, por ordem decrescente de incidência, coxas, tornozelos e joelhos. No entanto, várias outras partes do corpo e estruturas músculo-esqueléticas se encontram sujeitas a lesões.

As lesões mais comuns nos jogadores de futebol, sobretudo profissionais, são:

  • Lesões musculares
  • Lesões de ligamentos
  • Lesões ósseas
  • Lesões de menisco

Em seguida, apresentamos-lhe os diferentes tipos de lesões e quais as zonas do corpo mais afectadas por cada um. 

Entorses
Afectam sobretudo os tornozelos, que além do impacto dos movimentos dos pés e das pernas, estão também sujeitos às irregularidades do terreno de jogo e, consequentemente, aos maus jeitos provocados por mau posicionamento dos pés.

Distensões musculares
Referem-se à ruptura das fibras musculares, de todo o músculo ou dos tendões próximos associados. Ocorrem geralmente ao nível da coxa, devido aos movimentos súbitos de extensão e de grande intensidade, necessários, por exemplo, a um remate. 

Contraturas musculares
Na prática, são bloqueios ao nível dos músculos causados por um tónus muscular excessivo. Esta tensão muscular superior ao normal, diminui a capacidade dos músculos contraírem e relaxarem, bloqueando-os numa posição anómala que dificulta ou impede os seus movimentos naturais. Tal como os estiramentos, são frequentes nos músculos posteriores da coxa devido a movimentos de extensão e de explosão muscular.

Rupturas de ligamentos
Têm quase sempre origem nos chamados movimentos de rotação e podem ocorrer em diferentes zonas das pernas, como joelhos ou tornozelos e afectar grupos ligamentares distintos. Dividem-se em três graus, dependendo da gravidade da lesão: distensão sem ruptura (I), ruptura parcial dos ligamentos (II) e ruptura total das fibras ligamentares (III).

Os ligamentos afectados com mais frequência são:

  • o ligamento cruzado anterior (LCA) do joelho e é das lesões mais graves no futebol
  • o ligamento colateral tibial ou medial (LCM), sendo a lesão ligamentar mais comum

Lesões nos meniscos
Os meniscos são estruturas dos joelhos que, pelas suas características, estão sujeitas a desgaste, em maior ou menor grau, sobretudo a partir dos 40 anos, o que as torna gradualmente mais frágeis. Lesões fruto destas circunstâncias dizem-se degenerativas.

No decorrer da prática desportiva falamos de lesões traumáticas, ou seja, que resultam de quedas, impactos ou carga excessiva. Por isso, costumam também estar associadas a outras lesões, nomeadamente as ligamentares. Caracterizam-se por dor súbita, pontual e facilmente localizável, podendo em casos específicos impedir o movimento natural do joelho.

Pubalgia
Por actuar como o centro de gravidade do corpo, a púbis é uma das zonas mais sobrecarregadas dos futebolistas. A pubalgia trata-se de uma inflamação nos tendões desta área causada normalmente pelos movimentos repetitivos da prática desportiva e caracteriza-se por uma sensação de esticão na virilha com dor associada. 

Fracturas
Resultam quase sempre de traumatismos ou impactos fortes, como confrontos ou choques entre jogadores, de quedas ou de movimentos violentos. A tíbia, na canela, é um dos ossos mais comumente fraturados, a par da fíbula, osso mais fino e frágil nem sempre protegido pelo uso de caneleiras.

As fraturas também acontecem devido a movimentos e carga repetitivos sendo, neste caso, chamadas de fracturas de stress. Os pés, cujos ossos são bastante finos e sujeitos a muito peso e carga, são as zonas mais afectadas por este tipo de fratura.

Luxações
Tratam-se do deslocamento de um ou mais ossos das articulações para uma posição anómala, ocorrendo com alguma frequência ao nível das rótulas. É súbito e persistente, podendo ser total ou parcial, e geralmente resulta de um traumatismo/choque, directo ou indirecto, na articulação.

Como Prevenir?

Lesões desportivas são praticamente uma inevitabilidade. Por isso, a prevenção é a chave para minimizar os riscos, a gravidade e a probabilidade de lesões recorrentes.

Começamos por reforçar a importância dos exercícios de aquecimento no início, bem como de alongamento no final da atividade física. São uma regra, uma obrigatoriedade, parte integrante das sessões de treino. 

A utilização de equipamento desportivo adequado, como caneleiras e chuteiras de qualidade, que absorvam bem o impacto, é igualmente indispensável.

Outra ferramenta essencial para evitar lesões é a gestão da fadiga, já que a fadiga extrema leva à diminuição da performance e ao aumento do risco de lesão. Para isso devem considerar-se factores como frequência de treino, a intensidade de treino, preparação física do atleta e a sua capacidade de recuperação entre treinos.  

Há ainda um conjunto alargado de outras medidas preventivas que devem ser adoptadas, adaptadas e ajustadas às características individuais do futebolista:

  • trabalho de reforço muscular para reduzir as fraquezas e desequilíbrios musculares
  • adequação/adaptação da frequência e intensidade de treino
  • monitorização da performance desportiva
  • reconhecimento precoce/atempado de lesões

Um bom programa de prevenção de lesões deve, por isso, ser personalizado e baseado numa avaliação pormenorizada do atleta, por forma a considerar todas as suas características e a identificar os factores individuais de risco.

E em caso de lesão, o que fazer?

Em caso de urgência, o nosso serviço de Atendimento Permanente está diariamente disponível das 8h às 22h horas com intervenção nas áreas de ortopedia, traumatologia, medicina desportiva e ainda medicina dentária.

Para um acompanhamento mais prolongado, a Clínica Lambert oferece várias consultas de sub-especialidades ortopédicas, cujos cuidados especializados se focam no diagnóstico, tratamento e reabilitação das diferentes estruturas músculo-esqueléticas, nomeadamente ao nível da anca, dos joelhos, dos pés e tornozelos.

Não hesite em contactar-nos para mais informações. Estamos sempre aqui, para si.

Call Now Button