pt
Atendimento Permanente Todos os dias das 08:00-22:00 +351 217 582 336 geral@clinicalambert.pt R. Cordeiro Ferreira 3 1750-071, Lisboa

Atletas vs. Ansiedade

Com os treinos e as competições suspensas, os atletas vêem o seu futuro profissional e pessoal muito condicionado e indefinido. Quando, fruto desta incerteza, passam a experienciar uma agitação interior constante e incontrolável, podem estar perante um transtorno de ansiedade. O coaching no desporto pode ser um aliado poderoso na luta contra esta patologia silenciosa.

O impacto da pandemia no saúde mental

Os efeitos negativos da pandemia de Covid-19 têm-se feito sentir com grande intensidade na área da saúde mental. As restrições e os longos períodos de isolamento a que temos sido obrigados têm despoletado diversas patologias mentais em grande parte da população. O transtorno de ansiedade é um dos mais frequentes.

A ansiedade é um estado de angústia aflitiva gerada por receios e inquietações relacionadas eventos futuros, real ou percepcionados, manifestando-se de várias formas, e diferindo muito de pessoa para pessoa.  

Os sintomas físicos mais comuns são sudorese, frequência cardíaca acelerada, falta de ar, tremores, distúrbios digestivos e/ou intestinais, entre outros. Em termos emocionais são habituais a falta de concentração, hiperatividade mental, distúrbios do sono, podendo também ocorrer episódios de pânico. 

A origem da ansiedade está, portanto, na incerteza. E a única certeza dos dias que correm é a incerteza total em que vivemos.

Ansiedade: o adversário dos atletas em tempos de pandemia

Os atletas – federados ou amadores, seniores ou das camadas mais jovens – são, por natureza e por obrigação profissional, pessoas muito activas. Estão habituados a treinos diários de alta intensidade, a um elevado dispêndio energético, ao trabalho de equipa e ao espírito de grupo.

Têm, à partida, mais perseverança e tenacidade fruto de terem de enfrentar dificuldades e superar obstáculos ao longo da sua carreira. Contudo, não são imunes a este problema. 

Para estes desportistas, a quarentena e os períodos de confinamento têm um forte impacto negativo, quer a nível físico, quer mental.

Por um lado, a suspensão dos treinos – ainda que mantenham algum tipo de exercício físico caseiro – vai obviamente diminuir a preparação física dos atletas. Ou seja, o seu nível de desempenho será forçosamente menor quando regressarem ao activo. Este facto pode levá-los a questionar as suas capacidades e a ver a sua autoconfiança diminuída.

Por outro lado, o atleta comum está longe de ter condições semelhantes às das estrelas estratosféricas que enchem capas de revista. Portanto, ver a sua fonte de rendimento comprometida pode significar ser incapaz de honrar os seus compromissos, não poder cumprir com as suas obrigações e ficar impossibilitado de contribuir ou manter o bem-estar da sua família.

Meditação entre Atletas vs. Ansiedade
Como é que o Coaching Desportivo pode jogar a favor dos atletas?

É em períodos particularmente difíceis como este que a psicoterapia no desporto assume um papel ainda mais importante. Enquanto disciplina de acompanhamento e orientação direcionada, o Coaching Desportivo dispõe de técnicas e métodos que ajudam os atletas a lidar com a ansiedade, impedindo-a de controlar o seu dia-a-dia.

A abordagem eclética e integrativa da nossa psicoterapeuta Susana Firmino tem também um grande foco na gestão das emoções. Com o seu acompanhamento, e uma vez controlada ou ultrapassada esta fase, os atletas recuperam o controlo dos seus pensamentos, recuperam a motivação perdida e a capacidade de foco.

Afinal, tal como se treina o corpo, também a mente pode ser treinada, retirando desse exercício benefícios incalculáveis.

Higiene mental, uma prática a incluir no seu dia-a-dia
  • Manter rotinas (não significa cair na rotina), mantendo-se ativo e ocupado
  • Estabelecer objectivos: fornece um rumo e ajuda a manter a motivação
  • Manter o contacto social não presencial através, por exemplo, das novas tecnologias
  • Escolher fontes de informação credíveis e consultá-las no máximo duas vezes por dia
  • Apoiar e apoiar-se na família, fomentando relações familiares mais próximas
  • Reservar períodos de lazer
  • Obrigatório: exercício físico diário + exercício mental

Esta é a altura para pôr em campo toda a sua tenacidade. E isso pode significar passar a bola a quem esteja melhor posicionado. Caso sinta que está a sofrer algum tipo de desequilíbrio emocional, não hesite em procurar ajuda e acompanhamento profissional. Marque já a sua consulta de Coaching Desportivo. 

Call Now Button