pt
Atendimento Permanente Todos os dias das 08:00-22:00 +351 217 582 336 geral@clinicalambert.pt R. Cordeiro Ferreira 3 1750-071, Lisboa

Dores no Ombro – Causas, Diagnóstico e Tratamento

Dores no Ombro

É quando somos acometidos de dor no ombro que nos apercebemos do quanto o nosso dia-a-dia depende desta estrutura articular.

A dor é, na verdade, o primeiro sinal de que algo vai mal nos músculos, tendões ou algum outro dos diversos elementos da articulação do ombro. Explicamos-lhe aqui um pouco sobre dores no ombro para que possa prestar atenção ao seu corpo e procurar ajuda atempadamente.

A articulação do ombro, ou gleno-umeral, é, por um lado, a articulação com maior amplitude de movimento do corpo humano e, por outro, a mais instável. Graças a ela realizamos grande parte dos movimentos mais rotineiros: lavar o rosto, escovar os dentes, lavar o cabelo, pentear-se, cozinhar e tantos outros gestos que fazemos naturalmente todos os dias.

Contudo, estima-se que até 25% das pessoas sofram de dores no ombro, sendo que são afectadas com maior incidência mulheres com mais de 45 anos. Esta preponderância de dores no ombro na população do sexo feminino poderá ser explicada pela maior presença de estrogénio – hormoma com implicações na sensibilidade e na dor – nas mulheres do que nos homens.

O bom funcionamento da articulação do ombro depende em grande medida da boa condição física dos músculos e tendões presentes na sua estrutura. E a dor é, precisamente, o primeiro sintoma de que algo de errado se passa num, ou em vários, destes elementos. Importa por isso conhecer melhor as dores no ombro e, sobretudo, não lhes negar a importância que têm.

Tipos e causas de dores no ombro

De modo simplista, as dores no ombro podem ter características muito variáveis em relação ao modo como se manifestam. Assim, podem ser:

  • Agudas ou crónicas, dependendo se ocorrem em episódios esporádicos ou, pelo contrário, se são frequentes e de duração prolongada;
  • Localizadas ou irradiantes, mediante sejam limitadas a uma área, facilmente identificável, ou se estendam a outras zonas adjacentes do corpo;
  • Ligadas ao movimento ou constantes, conforme se manifestem apenas em resultado de actividade física ou também em repouso.

No que se refere à sua origem, as causas das dores de ombro podem classificar-se como:

  • Traumáticas – como resultado de quedas, colisões, movimentos bruscos, etc… sendo mais frequentes em faixas etárias mais jovens;
  • Atraumáticas – decorrentes do processo natural de envelhecimento do corpo e do desgaste das estruturas articulares e tendões e, por isso, mais comuns em pessoas mais velhas.
Existem, no entanto, muitos outros factores, intrínsecos e extrínsecos, que potenciam o aparecimento de patologias ao nível do ombro.

Inflamações – ao nível dos tendões, dos músculos e/ou da bursa (bolsa de líquido sinovial, lubrificante das articulações, cuja função é evitar o atrito entre os tendões, ossos e músculos da estrutura articular), que originam patologias como Bursite e Síndrome de Impacto do Ombro, muito frequentes também quando há movimento excessivo e repetitivo da articulação.

Lesões articulares – diretamente relacionadas com a articulação do ombro, fruto de alterações degenerativas, sobretudo em pacientes acima dos 50 anos. Destas, a lesão do manguito rotador é a mais frequente.

Lesões ocupacionais – estão estreitamente relacionadas com as condições de trabalho e as actividades laborais, em particular a má postura corporal e os movimentos repetitivos. 

Dores referidas – também designadas como dores periarticulares ou miofasciais, manifestam-se numa zona diferente (neste caso, no ombro) daquela onde se encontra a sua real origem: cervical, lombar, temporomandibular, entre outras bastante menos evidentes. 

Factores mecânicos – particularmente a instabilidade da estrutura articular bem como o seu desgaste decorrente da movimentação excessiva, que pode posteriormente degenerar em artrose.

Diagnóstico das dores do ombro, um processo minucioso

Para evitar o agravamento dos sintomas e o eventual desenvolvimento de uma doença crónica, não deve menosprezar as dores do e no ombro. Algumas patologias, quando diagnosticadas precocemente, podem ser tratadas de forma simples, rápida e sem recurso a cirurgia. Por isso, preste atenção aos primeiros sinais de desconforto e procure aconselhamento médico quando não consiga controlar a dor com analgésicos comuns e a mesma não desapareça no prazo de uma a duas semanas. 

Na Clínica Lambert pode contar com toda a experiência da nossa equipa de Ortopedia, especializada nas patologias de Ombro e Cotovelo, para o devido acompanhamento do seu caso particular.

Após um primeiro exame físico, poderão ser necessários exames médicos adicionais como radiografias, ecografias, ressonâncias magnéticas (RM). Todos estes exames, incluindo análises laboratoriais, podem ser realizados nas nossas instalações, com a conveniência de não precisar de se deslocar a outros locais e a vantagem da partilha de informação com o médico prescritor ser bastante mais eficiente. 

Abordagem multidisciplinar no tratamento de dores no ombro

Por norma, quando a dor de ombro é do tipo aguda e tem origem traumática, o tratamento é curto e passa por soluções simples: aplicação local de gelo, toma de analgésicos ou anti-inflamatórios comuns, limitação de movimentos e de esforço na área afectada. 

Casos mais graves poderão necessitar de anti-inflamatórios mais fortes, recorrendo-se então às chamadas infiltrações que são, na prática, injecções de corticoides no tendão ou tecido inflamado.

Quando se trata de dor crónica, o tratamento é mais prolongado e assenta numa abordagem multidisciplinar, na qual se aliam cuidados de saúde complementares – fisioterapia, reeducação postural, entre outros – à terapêutica medicamentosa. 

Finalmente, situações de fraturas, luxação e instabilidade do ombro, ruptura de tendões, lesão do manguito rotador, entre outras, podem necessitar de cirurgia. Sempre que possível, estas intervenções cirúrgicas são realizadas por artroscopia, um método simples e menos invasivo que evita cortes extensos e cuja recuperação é normalmente mais rápida.

Bons hábitos na prevenção das dores no ombro

Algumas pequenas mudanças no seu dia-a-dia podem funcionar como medidas preventivas contra as dores no ombro, para além de contribuírem para a melhoria da sua saúde e do seu bem-estar de um modo geral.

Natação
  • Uma dieta alimentar equilibrada ajuda a manter o organismo livre de processos inflamatórios, muito frequentes quando se come ou bebe em excesso 
  • Promova uma correcta postura corporal no seu dia a dia, sobretudo:
    • no local de trabalho e se passa muito tempo sentado
    • ao utilizar o telemóvel ou outros ecrãs portáteis que promovem más posturas ao nível da cervical
  • Pratique exercício físico com regularidade e com acompanhamento profissional; privilegie actividades físicas de baixo impacto, cujos movimentos sejam mais lentos e que reforcem a musculatura interna do ombro.
Exercício ombros.

Agora já sabe o que podemos fazer por si na consulta de sub-especialidade ortopédica Ombro e Cotovelo. Por isso, não encolha simplesmente os ombros quando começar a sentir os primeiros sinais de desconforto. Procurar uma avaliação médica especializada pode ajudá-lo a evitar, mais cedo do que mais tarde, dores mais incapacitantes e complicações mais graves. E nós estamos cá para isso.

Call Now Button