pt

A importância da Ressonância Magnética em Ortopedia

A Ressonância Magnética, em particular, é um método de imagem extremamente versátil cujas valências são reconhecidas e utilizadas em inúmeras áreas médicas. Em Ortopedia, a RM tem-se mostrado particularmente importante no diagnóstico de patologias musculoesqueléticas, nomeadamente as relacionadas com as articulações

Com a descoberta dos raios-X no final do séc. XIX e a constante evolução científica e tecnológica, os exames de imagiologia vieram revolucionar tantos as áreas de investigação como a medicina clínica. Ao facilitarem o diagnóstico das mais diversas patologias, aumentam também exponencialmente a eficácia dos tratamentos prescritos aos pacientes.

Ressonância Magnética (RM), o que é exactamente?

A ressonância magnética é um exame complementar de diagnóstico não invasivo, do âmbito da Radiologia, que permite a captação de imagens do interior do corpo humano através de ondas de radiofrequência e um campo electromagnético muito forte. 

É um método de imagem extremamente versátil que, ao mostrar ossos, processos fisiológicos e estruturas anatómicas diversas, com grande detalhe e em vários planos, possibilita rapidamente um diagnóstico clínico mais concreto.

Quais as vantagens da RM?

A ressonância magnética apresenta muito poucas contra indicações quando comparada com outros exames imagiológicos. As ondas de radiofrequência são radiações designadas como não ionizantes. De baixa energia, ao contrário dos raios-X, não conseguem penetrar nos tecidos, actuando apenas sobre a superfície onde incidem. 

Além disso, os meios de contraste intravenoso necessários à captação de (apenas) determinadas imagens, apresentam menor incidência de efeitos secundários sendo, por isso, mais seguros do que os utilizados em radiografias ou TAC’s.

O papel da RM em Ortopedia

Em Ortopedia, a ressonância magnética tem-se mostrado particularmente importante no diagnóstico de patologias musculoesqueléticas, especialmente das relacionadas com as articulações. 

Graças ao elevado detalhe das imagens obtidas, muitas vezes é possível detectar lesões que passariam despercebidas em radiografias simples ou tomografias computadorizadas – as chamadas TAC. Alterações em estruturas pequenas como os ligamentos dos dedos, por exemplo. Também possibilita aferir o grau de determinadas lesões musculares. E até ajuda a detectar lesões em cartilagem.

A ressonância magnética tem sido igualmente essencial na obtenção de imagens de implantes metálicos ortopédicos. Uma necessidade frequente à qual nem as radiografias nem as tomografias conseguiam dar uma resposta satisfatória. Razões não faltam para que a ressonância magnética seja, actualmente, o exame imagiológico não invasivo de primeira escolha no estudo do sistema musculoesquelético.

Na Clínica Lambert, as RM são realizadas num dos mais sofisticados, potentes e confortáveis equipamentos: a GE SYGNA VOYAGER. 

GE SYGNA VOYAGER na Clínica Lambert

O que precisa de saber:

  • O exame demora aproximadamente 30 minutos;
  • O paciente deverá retirar objetos metálicos, como brincos, relógios, pulseiras, roupas com metal, etc. 
  • Também é recomendado evitar maquiagem e o uso de óleos corporais, hidratantes e esmaltes.
  • O paciente deve permanecer imóvel para não prejudicar a captação das imagens;
  • O paciente é monitorizado durante todo o exame por profissionais de saúde que podem comunicar com ele.

Se necessita de realizar uma ressonância magnética, não hesite. Contacte-nos e marque de imediato o seu exame.

Deixa uma resposta