pt

Canadianas: Um guia para bem manusear estes auxiliares de marcha

Traumatismos, cirurgias, alterações ósseas de ordem genética. São muitos, e muito diversos, os motivos que obrigam à utilização de auxiliares de marcha, seja de forma pontual, temporária ou, em alguns casos, permanente. De igual modo, existem vários tipos de dispositivos auxiliares de marcha (DAM) – entre bengalas, andadores e muletas – com características distintas e que não se adequam exatamente às mesmas situações. 

Neste artigo, abordamos as muletas de Lofstrand ou de antebraço, mais conhecidas como canadianas. Aprender a utilizá-las correctamente é o primeiro passo para uma recuperação mais rápida e sem contratempos.

As muletas de Lofstrand, vulgarmente chamadas de canadianas – por terem sido, supostamente, inventadas no Canadá –  são muletas com pega de mão e apoio de antebraço. A sua utilização proporciona mais equilíbrio a pessoas com algum tipo de lesão ao nível dos membros inferiores. São particularmente indicadas em casos específicos, como lesões e intervenções cirúrgicas, após as quais não possa ser exercido peso no pé, joelho ou perna.

Contudo, as canadianas não são adequadas a todas as condições clínicas. O grau de mobilidade do utilizador, a gravidade da lesão ou patologia em questão, bem como a facilidade ou capacidade de adaptação do paciente ao seu uso, são condicionantes na escolha do auxiliar de marcha mais indicado. Por isso, a orientação para o uso de canadianas deve ser sempre feita pelo médico – ortopedista, fisiatra – ou fisioterapeuta.

Estes profissionais de saúde devem também instruir o paciente sobre a forma correta de manusear as muletas, para prevenir eventuais quedas e lesões noutras zonas do corpo, sobretudo os punhos, os ombros e as costas. 

Independentemente de usar uma ou duas canadianas, deve seguir sempre as seguintes recomendações:

  • o peso do corpo deverá ser suportado pela(s) mão(s);
  • os cotovelos devem estar ligeiramente dobrados;
  • o apoio de mão deverá ficar ao nível da anca, quando com os braços esticados;
  • a base das canadianas deve ficar afastada cerca de 10 cm da parte da frente do pé, e ligeiramente para fora, para evitar tropeçar.

Quando apenas uma canadiana é utilizada:

  • a muleta deve posicionar-se no lado oposto ao membro lesionado;
  • cada passo da perna lesionada deve ser acompanhado pela muleta;
  • o peso do corpo não deve ser transferido totalmente para a muleta;
  • ao subir escadas, coloca-se o pé são e a canadiana no degrau, subindo em seguida o pé magoado:
  • ao descer escadas faz-se o inverso, descendo primeiro o pé lesionado e a muleta, seguidos pelo pé são.

Quando são usadas duas canadianas:

  • a perna lesionada deve ficar ligeiramente dobrada
  • o primeiro passo é dado com a perna sã, seguido pelas muletas em simultâneo
  • ao subir escadas, primeiro sobe-se a perna sã e, de seguida, as duas muletas, o que fará elevar a perna magoada
  • ao descer escadas, a perna lesionada deve estar bem esticada para a frente para ajudar a manter o equilíbrio; primeiro apoiam-se as muletas no degrau de baixo e, em seguida, a perna sã; a perna lesionada segue naturalmente os movimentos do resto do corpo.

Além dos cuidados na utilização diária, existem alguns aspectos a ter em conta ao escolher canadianas:

  • deverão ser robustas e confortáveis durante a utilização,
  • os apoios de mão e antebraço que deverão ser revestidos de plástico e/ou borracha,
  • verifique o estado das borrachas que assentam no chão; caso estejam danificadas ou gastas, sem rasto, podem ser facilmente trocadas.

Conselhos para sua segurança em casa:

  • retire quaisquer obstáculos do caminho, como tapetes e fios eléctricos
  • desimpeça espaços de passagem retirando plantas ou outros objectos estorvantes 
  • na banheira ou chuveiro, coloque tapetes antiderrapantes
  • se necessário, coloque uma cadeira adequada no chuveiro

e na rua:

  • caminhe devagar e, sempre que possível, em terreno regular
  • utilize mochilas para transportar objectos
  • utilize pó de talco ou cremes gordos para evitar ferir a pele das mãos
  • tenha atenção a pisos molhados ou escorregadios
  • quando sentir cansaço, pare um pouco para recuperar forças.

Se tiver dúvidas não hesite em pedir aconselhamento ao seu médico ortopedista, fisiatra ou ao seu fisioterapeuta.