pt

Coaching Desportivo e Psicoterapia Comportamental Cognitiva

Se está a ler este artigo, ter-se-á provavelmente perguntado o que é isto do Coaching Desportivo e o que é que a Psicoterapia Comportamental Cognitiva tem a ver com o desporto. E, na verdade, são dois métodos, ou ferramentas, que podem complementar-se. 

Vamos dar-lhe a conhecer cada uma delas, explicar-lhe como se aplicam a atletas e como isso se reflecte na performance desportiva.

Coaching Desportivo, o que é?

Há várias respostas para esta questão, mas podemos definir coaching como um processo de acompanhamento ou orientação que visa maximizar o potencial de cada pessoa. O coaching desportivo, como o nome indica, foca-se exclusivamente em atletas, para quem o rendimento individual, bem como o desempenho no seio de uma equipa, são de sobremaneira importantes.

Em termos práticos, o atleta é orientado por um coach – ou seja, orientador – cujo papel passa por motivá-lo mas cujo âmbito de actuação é muito mais extenso. O coach promove o autoconhecimento do atleta e a sua evolução, ajudando-o a ultrapassar barreiras e dificuldades. É importante salientar que estas barreiras, fragilidades e/ou limitações podem manifestar-se de forma intermitente, em diferentes momentos e fases do atleta, não sendo, por isso, estanques.

Os benefícios do Coaching Desportivo

Como a sua prática bem o demonstra, são inúmeros. Desde logo, o aumento da motivação e o desbloqueio do potencial individual. Também o aumento da capacidade de foco e a organização do pensamento, que se reflectem posteriormente numa melhoria da tomada de decisão e, consequentemente, no aumento do compromisso face a essas decisões. De extrema importância é, igualmente, o papel que pode ter como apoio na recuperação de lesões, quer físicas, quer psicológicas.

Actualmente, é amplamente reconhecido que o Coaching Desportivo é uma ajuda preciosa para os atletas profissionais, sejam quais forem as modalidades praticadas. Mas também os atletas amadores podem ver o seu desempenho beneficiar desta orientação.

A Psicoterapia e o equilíbrio psicológico

A psicoterapia pode ser vista como uma viagem ao mundo interno de cada pessoa, detentora de um passado, um presente e um futuro. Muitas vezes, quem a ela recorre fá-lo em último recurso, após ter tentado solucionar os seus transtornos ou inquietações de várias outras maneiras. Sempre sem sucesso. Tratam-se, frequentemente, de problemáticas relacionadas com as emoções e que afectam o pensamento de forma muito intensa. 

Num processo gradual, fazendo uso de técnicas específicas, o psicoterapeuta desafia a pessoa a explorar as suas emoções, positivas e negativas, bem como a perceber a relação que estas têm com os seus pensamentos e comportamentos. Este processo permitirá à pessoa viver melhor consigo mesma, com a sua história de vida e com os altos e baixos que esta acarreta. Irá capacitá-la em ferramentas que lhe permitirão começar a viver um novo presente, mais pleno e tranquilo. Do mesmo modo, será capaz de delinear e moldar, de forma activa e mais consciente, o seu futuro. 

Quem pode beneficiar de Psicoterapia?

Praticamente todas as pessoas podem fazer Terapia Cognitivo Comportamental: homens, mulheres, crianças, adultos, pessoas com algum transtorno mental ou que estão a passar por qualquer tipo de conflito interno. Na verdade, a TCC é altamente recomendada para casos de depressão, transtornos de ansiedade e síndrome do pânico, transtornos obsessivo-compulsivos, fobias sociais ou outras situações que devastem a relação natural e saudável consigo mesmo, com a vida e com ou outros.

Coaching vs. Terapia Comportamental Cognitiva

É importante ter presente que tanto a TCC como o Coaching, actuam no desenvolvimento do potencial de cada pessoa, promovendo a autoconsciência dos seus recursos individuais e o restabelecimento do equilíbrio psicológico. 

A Terapia Comportamental Cognitiva, ou TCC, trabalha sobre diversas problemáticas que perturbam e/ou geram sofrimento ao atleta. O Coaching pode igualmente intervir a este nível, excepto em casos de natureza psicopatológica mais profunda. Nestes casos, apenas um coach que seja simultaneamente Psicólogo terá as competências necessárias para acompanhar o atleta.

Num artigo publicado no DN, em 2018, alguns desportistas deixaram o seu testemunho sobre a importância do equilíbrio psicológico no bem-estar dos atletas.

Susana Feitor diz: ”Criou-se um tabu que não devia existir”, refere a ex-marchadora, admitindo que ela própria sentiu “muitas vezes necessidade de um apoio psicológico” e lamenta não ter tido esse acompanhamento adequado, sobretudo “na fase final da carreira”.”

Célio Dias (Judoca) refere “… quero alterar a forma como olho a competição. Não focar em exagero, para não descurar certas partes da minha vida. Aprender a enfrentar a competição de forma mais saudável”.

Frederico Gil (tenista) afirma: ”Tenho ainda muitos objetivos pessoais e profissionais. O top 50 e o top 100 continuam presentes. Mas a sanidade mental passou também a ser prioridade. Quero chegar lá, mas quero ser feliz. Antes, estava no topo mas não me sentia bem. Queimei. Foi too much. Estava a tornar-me uma pessoa que não queria.”

Poderá ler o artigo na íntegra aqui

Se quiser saber o que o Coaching e a TCC podem fazer por si enquanto atleta, contacte-nos. Temos consultas de ambas as disciplinas, podendo optar por consultas isoladas ou por packs de 5 sessões.